Para abrir as Postagens é só clicar. nos Temas

domingo, janeiro 25, 2015

EDUCAÇÃO E EDUCAÇÃO CRISTÃ

Aproximações ao nome
Não haveria evolução se não houvesse educação. Somente através da educação que os conceitos da personalidade são formados. Educar não faz parte somente de um grupo religioso ou formal, a educação interage com a vida. A religião está associada à educação, mas cada uma tem as suas maneiras de expressar seus conceitos de educação. Assim como a política tem seus valores à educação também tem seus valores e ela não pode estar alienada quanto a crenças e valores. Não podemos confundir a fé somada à educação tornando os homens prosélitos ou por doutrinação, seria uma falsa realidade, como confundir a políticidade da educação com a inculturação ideológica.
Quando usamos o qualificativo cristão, queremos colocar de acordo com nossa visão o conceito de educação. Neste caso torna-se um problema sério que só viria distanciar as comunidades cristãs no conceito da missão educativa.
Já por outro lado o papel católico da educação a catequese é uma das formas de expressar o papel de igreja no desempenho do ministério.
As três naturezas da catequese do teólogo católico Floristan, é muito rica pelos seus conteúdos, ele comenta sobre a iniciação na igreja, na evangelização na transmissão de fé aos novos membros, englobando o conceito de fé. Como distinta do ensino religioso escolar que acontece nas relações humanas que tornam mais abrangentes, para Floristan a educação cristã da fé é mais ampla que a simples catequese.
No circulo protestante foi-se firmando o conceito de educação cristã. Segundo Mary Boys, houve de início uma reação racionaria quanto a origem da teologia neortodoxa em relação ao liberalismo teológico, seja pelo seu antiprogressismo pedagógico, destacando a centralidade bíblica na concepção humana. Embora seja comparada com a escola bíblica dominical, existe um forte esforço em resignificar a prática no protestantismo, especialmente na América Latina.
O teólogo metodista Mattias Preiswerk destaca as diferenças entre educação popular e educação cristã, e pode-se conferir as contribuições  e desafios que ambas se fazem mutuamente. A educação cristã é compreendida neste aspecto como mais ampla do que no ambiente eclesial. Ele afirma que ocorre educação cristã com compromisso cristão, ele aproxima a educação cristã da educação popular. Entende que a educação cristã como a práxis dos cristãos  e da diversidade das igrejas nos diferentes campos de educação : Formal (escolar); não formal (educação de adultos e popular) e informal (através do meio social e familiar). Esta definição envolve a educação cristã e sua finalidade numa variedade ideológica, teológica e pedagógica existente em determinados contextos.
Daniel Schipani e Danilo Streck compreendem a educação cristã “na perspectiva do reino de Deus” transcendente ao âmbito da comunidade eclesial. Esta educação não está atrelada ao compromisso restrito a denominação e nem por outros fatores que venham limitá-la. A educação crista na perspectiva do reino de Deus, tendo como base o evangelho, tem condições de mediar e analisar de forma crítica da reflexão e da prática educacional que supera todas as expectativas de uma determinada Igreja ou comunidade local. Este processo está relacionado com a mediação crítica que passa por uma nova relação entra as disciplinas que somam a educação cristã nos âmbitos eclesiais e sociais. Portanto a tarefa formativa da Igreja é de associar seus membros para participarem da vida e dos compromissos da sua comunidade, que não pode ser dissociado da visão e atuação pedagógica dos que professam a fé cristã numa sociedade mais ampla. É um dos objetivos manterem estas duas dimensões interligadas na análise.
Uma prática refletida
Diante da dimensão dialética da práxis da educação cristã, temos que analisá-la como disciplina acadêmica e como pratica educativa. A educação cristã como forma de educar nos diversos segmentos da sociedade, seus vários níveis acadêmicos instrui sobre a conceituação, nos diversos contextos da sociedade eclesial, visando a educação do povo de Deus realizada no segmento de Cristo.
Sendo assim ele se distingue da socialização pelo seu maior ou menor grau de intencionalidade, realizadas nas comunidades eclesiais, nas famílias, num assentamento de colonos ou em outros contextos. Neste sentido Westerhoff afirma que a educação cristã deve ser exercida com esforço no qual a comunidade de fé se propõe a facilitar o estilo de vida cristão por parte das pessoas ou grupos. A educação cristã precisa estabelecer uma mediação entre a oferta salvífica de Deus e as necessidades humanas entre o ensinamento divino e as perguntas existenciais entre as pessoas, entre Deus revelado que se encarna na figura humana que o ser humano não consegue se relacionar com Deus senão por Cristo mediador. E isso não poderá ser fruto do acaso ou da improvisação. Portanto a educação cristã precisa se compreender numa relação dialética, em que a reflexão parte da prática e retorna, onde teoria e prática se influenciam e se criticam mutuamente e onde não ocorre um distanciamento entre teólogo e pedagogo profissional, onde o educador, faz com que as pessoas participem do processo educacional como educadores e educandos.

A Educação Cristã deve ser vista como prática, encontra na Teologia Prática seu lugar de ação com outras ciências humanas e sociais Neste sentido da Teologia Prática que a educação Cristã estabelece o diálogo entre a Teologia e a Pedagogia... 
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...